Preciso de um Advogado para Requerer minha Aposentadoria no INSS?

Preciso De Um Advogado Para Requer Minha Aposentadoria No Inss

Vários clientes já fizeram esse questionamento, preciso de um advogado para requerer meu benefício no INSS? A resposta é bem simples, NÃO! Porém, na maioria das vezes, você pode ser prejudicado por não saber o que pode ser melhor para você.

 

Você já ouviu falar em planejamento previdenciário?

 

Continue comigo nesse artigo que vou te orientar da melhor forma sobre o que você deve fazer antes de ir ao INSS requer seu benefício. Se você fizer isso, sem consultar um especialista em direito previdenciário, poderá perder a oportunidade de solicitar um benefício mais vantajoso que é seu por direito.

 

1 – PORQUE DEVO FAZER UM PLANEJAMENTO PREVIDENCIÁRIO ANTES DE REQUER MEU BENEFÍCO NO INSS.

 

O planejamento previdenciário é um serviço feito por um(a) advogado(a) especialista em direito previdenciário que visa trazer agilidade e segurança para o segurado no momento da sua aposentadoria, pois possibilita minimizar erros no processo administrativo da aposentadoria, sempre em busca do melhor benefício. As alterações legislativas no Direito Previdenciário são inúmeras e constantes, além disso, os históricos contributivos dos segurados são, via de regra, muito falhos nos bancos de dados do INSS.

 

O planejamento previdenciário é um serviço que consiste na organização e preparação de toda a documentação e deve ser feito no período de pré-aposentadoria. Desta forma, ele tem como objetivo garantir que o trabalhador se aposente de forma mais rápida e recebendo o melhor benefício possível, pois sem essa análise, muitas vezes você pode requer o benefício que vá ganhar menos e perder um benefício mais vantajoso que é seu por direito.

 

No entanto, também existe a possibilidade de utilizar o planejamento para análise de qual a melhor época para se requerer uma aposentadoria.

 

Para quem não sabe, existem alguns erros e inconsistências que impactam negativamente o montante que será a base de cálculo da aposentadoria. Por exemplo:

 

• recolhimentos desnecessários que acabam se tornando investimentos perdidos;

 

• contribuições abaixo do valor obrigatório, que não são consideradas no cálculo do benefício de aposentadoria;

 

• uso de código errado para registrar os recolhimentos;

 

• períodos com contribuição normal, mas sem o respectivo registro formal.

 

A Reforma da Previdência alterou drasticamente os benefícios previdenciários, atingindo especialmente a aposentadoria por tempo de contribuição. Inclusive, há várias regras de transição para quem estava prestes a se aposentar.

 

Nestes casos, quando o planejamento previdenciário é feito, às chances de se obter um melhor benefício é maior. Sendo assim, o profissional irá avaliar as possibilidades de encaixar o segurado na melhor regra de transição trazida pela Reforma.

 

O planejamento previdenciário também objetiva orientar o segurado acerca dos valores que ele deve contribuir para obter um melhor benefício. Não é incomum encontrarmos segurados que já tem direito a uma aposentadoria, mas que ainda não solicitaram o benefício por pura falta de conhecimento.

 

2 – RISCOS DE QUEM NÃO PLANEJA SUA APONSENTADORIA

 

Vou citar para você alguns erros comuns que podem ser cometidos quando a pessoa não faz o planeamento previdenciário, esses erros podem ser fatais, ou seja, eles podem reduzir o seu benefício e te fazer trabalhar mais

 

Existem centenas de detalhes que devem ser observados na hora de realizar o seu pedido de aposentadoria, se você ignorar algum desses itens que vou citar agora, corre o risco de perder dinheiro. Afinal, a sua aposentadoria é um bem precioso, que pode te proporcionar segurança financeira, na melhor fase da sua vida!

 

Principais erros:

 

A)   Deixar de fechar os vínculos que estão com problema junto ao INSS ou Regime Próprio.

 

B)   Efetuar recolhimento previdenciário de período retroativos, sem que esses períodos possam ser considerados para fins de aposentadoria.

 

C)   Não realizar a complementação das contribuições feitas abaixo do salário mínimo.

 

D)   Perder tempo de contribuição que você poderia recuperar com a contribuição feita em atraso.

 

E)   Não incluir períodos que você contribuiu, mas que o regime não considerou.

 

F)    Realizar o pedido errado de aposentadoria, quando você tem direito a um benefício melhor.

 

G)   Perder tempo um valioso tempo de contribuição

 

H)   Não averbar o tempo de contribuição de um regime para outro.

 

I)    Deixar de complementar, de compensar e de agrupar contribuições quando é necessário.

 

J)    Deixar de excluir contribuições que vão te prejudicar

 

Não regularizar as contribuições em atraso.

 

Esses são só alguns erros que podem acontecer, fora os que não citei, por isso cada caso concreto precisa ser analisado minuciosamente.

 

Se você é contribuinte e trabalhou tanto para a tão sonhada aposentadoria, não cometa nenhum desses erros e consulte um advogado de sua confiança para fazer o seu planejamento previdenciário.

 

Dra. Ivenise Rocha

Compartilhar esta postagem
Fale conosco!